9/9/18 - A Nova Terra foi parida

by - 10:00


Pra quem me acompanha aqui no blog, sabe que desde 2016 quando meditei pela primeira vez, muita coisa vem acontecendo na minha vida. Uma boa parte eu até consigo postar e documentar aqui no blog. E uma grande parte nem dá tempo de botar no papel. Tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Mas o que venho percebendo é uma linha no tempo bem coerente, mágica e sincrônica. Sempre digo: tudo me levou até o agora. E bem, hora de contar mais uma parte dessa história... com direito a sonhos, conexões bizarras, pessoas incríveis e muito amor! A teoria é vivida, os milagres comprovam.

1) Toda crise é causada por um simples fato: esquecimento da essência. Toda crise é gerada para causar: mudança. A mudança só vem quando reconhecemos a crise e criamos uma solução criativa. Se repetirmos padrões, nos voltamos ao velho e às tentativas do passado, a crise retorna. Crises, quando bem-sucedidas, levam à evolução, formam indivíduos mais criativos e adaptáveis. Crises, quando não há espaço para o novo, levam à autodestruição.
Essas são algumas das informações canalizadas na teoria, e que se confirmam em cada nova crise da minha vida. 
Bem, eu estava em crise. Sentia que não estava podendo verdadeiramente me expressar com algumas pessoas. No silêncio, comecei a me perder em pensamentos antigos como "eu não sou amada""eu não posso ser quem sou" etc. Passei alguns dias tentando compreender de onde isso vinha... e foi aí que numa sincronicidade, abri uma mensagem num livro que dizia sobre as mágoas em relação a nossa família e como isso se entende para outros relacionamentos com a "grande família". E era isso, eu estava repetindo um comportamento que tive na pré-adolescência, dei meu silêncio pra ver quanto tempo as pessoas que eu amava viriam atrás de mim. Quando criança, tinha costume de ligar todo domingo para minha família paterna que morava longe, era um hábito. Até que quando tinha lá pelos 12 anos, comecei a me entristecer com as conversas automáticas que só perguntavam do clima, da escola e coisas banais. Bem drama adolescente, pode ser, mas queria que tivessem interesse por quem eu estava me tornando. Então, decidi não ligar num domingo... Não me ligaram de volta. E não liguei mais um domingo, e nada. Até que quando nos falamos, vieram as cobranças, como se fosse apenas minha obrigação fazer as ligações. Não era uma troca. E por fim, acabou virando uma briga, eu me feri porque senti que não se importavam comigo, e eles devem ter se ferido porque eu não ligava mais e nossos vínculos foram ficando mais frouxos. Ainda hoje nos falamos pouco, mas sinto que as coisas estão começando a melhorar e se esclarecer. Minha madrasta vem se aproximando mais de mim e verdadeiramente dando espaço de escuta e fala para a nossa relação. 
Por outro lado, já fazem 6 anos que também não moro com a minha família materna. Marcada por altos e baixos, a sensação de não-pertencimento, incompreensão e superficialidade se repetem. E eu precisava dessa crise pra olhar pra tudo isso que ainda estava me ferindo. Quem estava ferida? Minha criança. E de onde viria a cura? Da criança!
Numa meditação, uma memória de quando tinha uns 8 anos me tomou. Meus tios tinham me esquecido na escola e fiquei lá com o segurança até minha mãe ir me buscar depois do trabalho. Se a memória fosse até aí, já dava para compreender parte da ferida. Mas o que veio depois, foi como uma luz. Lembrei que não fiquei triste ou com raiva, mas brinquei nas salas de aula vazias e foi uma aventura! Amava brincar de ser professora e poder fazer isso na escola era um sonho se realizando. Isso foi me trazendo a leveza que essa criança tinha de ser criativa e lidar com as circunstâncias.
Eu vi que a ferida era a mesma, a sensação de que quem me amava esquecia de minha existência. E podendo olhar para a minha criança, pude reconhecer um amor genuíno, no qual eu também podia me dar. Era eu quem precisava lembrar da existência da minha criança. Relembrei como eu era uma líder nata e havia até criado um grupo de dança para as minhas colegas de classe, onde eu fazia as coreografias e nos apresentávamos. E qual era minha intenção? Dançar músicas que falassem de amor ou adorassem a Deus... e quando lembrei disso, me reconheci no agora, com a mesma intenção de juntar pessoas na vibração do amor para honrar ao Todo.
Então tive um sonho que estava numa floresta com o Angelo, meu amor que me traz muito da criança interior, e quando a noite foi chegando, as aranhas começaram a descer de sua teia. Ficamos com medo, e então fui pra uma casa e me escondi debaixo do edredom com medo de ter uma aranha no quarto. Bem uma atitude de criança quando tá com medo. Reconheci esse medo como sendo um receio meu de inseguranças maternas, de me sentir desprotegida. 

2) Semana passada eu estava bem envolvida com a energia siriana, já havia tentado postar o texto sobre eles na pássaro-estrela duas vezes, mas simplesmente dava errado. Na terceira tentativa, depois de escrever tudo mais uma vez, deu certo. E foi um dia que eu passei criando, cantando, compondo. Depois fui meditar com a Laura no portal e logo ela viu um tigre branco/dourado comigo. Isso me fez lembrar de um sonho que eu tive em 2017 onde um tigre maravilhoso se apresentou pra mim e nós éramos muito amigos, muito amor. Só de lembrar dele, dá vontade de chorar. Aí me lembrei do sonho que marcou meu despertar, no qual tinham me levado para um calabouço com 2 casais de leões. Já contei desse sonho aqui. E foi muito claro que eu precisava ir até o centro e formar um triângulo com as minhas mãos, fazendo uma prece três vezes e, então, um casal de leões se aproximou de mim, eu estiquei os dois braços e eles vieram fazer carinho nas minhas mãos enquanto formávamos um outro triângulo. Só ali, na meditação e depois de escrever sobre Sírius, que entendi toda a ligação disso com a geometria sagrada e os felinos no sonho.
Nisso, a Laura começou a falar de Bast, a deusa gato egípcia da brincadeira e da alegria e depois ativou o Merkabah em mim, viu que o meu era cristalino. Eu me vi entrando num portal estelar e foi aí que vi mais uma vez a minha criança interior. Estava resgatando várias memórias da infância, e então a Sollara colocou as mãos nas minhas costas para ativação das asas e eu senti a tecnologia arcturiana, como se eu tivesse numa máquina, e fui compreendendo mais uma parte do papel dela comigo... ela pode me ajudar a realinhar com a força angélica através dessa ativação das asas. Consegui vê-las e eram enormes, brancas, douradas e rosa nas pontas. Depois da meditação, senti meu terceiro olho muito aberto e eu estava com a sensibilidade muito aguçada, como era quando criança. 

3) E então vieram dois sonhos e um turbilhão de sincronicidade. Sonhei que decidia voltar para a escola, mesmo já estando formada, porque sentia saudade de ter aula. Fui parar numa aula de física do 3º colegial e o tema era: ondas (v= lambda x f). E eu fui e contei uma piada muito ruim, que meu professor tinha me contado na vida real quando estava aprendendo essa matéria, tipo "o que que uma onda disse pra outra? Lambda! Lambda. Porque lambda é o comprimento da onda". Péssimo né? hahaha Enfim, contei a piada ruim no sonho e mesmo assim a turma gostou de mim e ainda queriam que eu estivesse na foto oficial deles. Lembro de ter visto a @flacavasotti como aluna também. Depois fui pro pátio e um urso queria ficar me abraçando. Ele era super carinhoso, mas né, um urso gigante hahah fiquei com receio dele me machucar ou de que se eu saísse de lá, ele ia me seguir pra rua. Dito e feito, fui pra rua e o urso foi atrás. Tive que voltar pra escola/zoo e ele me seguiu, junto de nós tinham dois pastores alemães nos guardando. Aí deitei no gramado, e do nosso lado tinha de novo: o casal de leões.
Acordei e fiquei tipo: EITA. Entendi que a parte da aula de física ainda tinha a ver com a minha criança, que eu podia brincar e falar de coisa séria também, que eu podia estar na posição de aluna e também de alguém que ensina. Fui falar com a Fla sobre ter sonhado com ela, e conversamos sobre a questão quântica da vibração das ondas, que às vezes as coisas mudam, as pessoas se afastam porque não estão na mesma frequência que nós naquele momento. Mal eu sabia que aquilo seria um recado pra minha eu do futuro também.
Quanto ao urso, sentia que tinha a ver comigo temer a minha força, mesmo essa força se mostrando carinhosa e amorosa o tempo todo. Meu questionamento era se ela continuaria mesmo fora daquele espaço da escola (que também pode simbolizar o espaço do ritual que eu iria no domingo), e sim, a força ia onde eu ia e nós estávamos sendo protegidos e guardados pelos cães, mentores sirianos maravilhosos, juntamente com o casal de leões que tranquilamente estavam no gramado com a gente.
Fiquem com isso em mente.
Aí beleza, de sábado pra domingo tive outro sonho: eu estava no apartamento da minha avó e vi que meu amigo ia pedir minha amiga Gabi em noivado e eu fiquei tão feliz e emocionada, fui pro banheiro me arrumar, afinal: ERA FESTA! Celebrar o amor! Mas, enquanto me arrumava no espelho, atrás de mim estavam minha avó, minha madrinha e minha tia paterna. Minha avó estava calada, minha madrinha me olhava mais carinhosa e minha tia ficava pra lá e pra cá reclamando, até que eu perdi a paciência com os murmurinhos dela e disse: "não é só você que se feriu. você também me feriu quando eu confiei em você um segredo e você contou traindo minha confiança". Aí ela ficou quieta, e eu continuei super feliz me arrumando. Acordei, mandei mensagem pra Gabi dizendo do pedido e ela chocada "Meu Deus, Evelyn, eu nunca faço isso, mas essa noite fiquei vendo uns pedidos de noivado e chorando de amor" hahah e eu captando isso aqui. Sabia que o sonho também se remetia ao ritual, porque seria uma cerimônia real de casamento, e que tinha a ver com a cura do feminino da minha família.

DIA 9/9/18 - Dia do ritual. Vi que minha lunação tinha cessado, meu corpo se encarregou de fazer a limpeza. Fomos para o instituto, um dia lindo, tudo arrumado para o casamento, estava rodeada de pessoas amadas. Nos primeiros momentos, fiquei meditando e quando começou a energia de Oxum, eu me prostrei e senti derramarem pétalas de rosa branca nas minhas costas. Um mantra não saia da minha mente "essência da alegria", e eu sorria e só sentia amor. Então, a médium da casa começou a guiar para a cura da casa 4, e meu saturno é na casa 4 em peixes. O sonho que tive no espelho com as figuras femininas da minha família vinham num looping até eu entender que eu vim pra trazer cura, principalmente em relação ao feminino da minha ancestralidade e isso viria através da espiritualidade de peixes. E quem é a energia de peixes? Jesus. À partir daí, minha meditação foi um reencontro com esse amor crístico maravilhoso. Ele me mostrava a alegria da minha criança, como a gente tinha uma ligação muito forte e que ele sempre cuidou de mim. Era muito amor, muito dourado, tudo muito lindo.
Certo momento, me deitei no colo da Laura e via vários símbolos. A gente virou tipo uma coisa só e ela acessou que eu estava como o corpo da serpente e ela a cabeça, e viu uma serpente alada, que é justamente a integração da Kundalini, fogo da terra, com Shekinah, fogo do céu. Eu via muitas pirâmides egípcias, hieróglifos e pássaros brancos alçando vôo.
Depois, senti que tinham asas nos meus pés e eu não parava de subir... fui parar na dimensão da Fonte, a mesma que projetava quando era criança e fui recebida com muita animação.


A consciência crística falava que eu estava preparada para minha missão e então me vi voltando pra Terra com muitos anjos e muitos seres, muitas estrelas. A frequência foi mudando e caindo. Chegando aqui era uma energia de dualidade muito grande, de bem e do mau, de certo e errado, de vida e de morte, e me vinha "mantém a energia da Unidade. Tudo é o Todo. Tudo é Um. A dualidade é integrada pela Luz. Toda sombra é abraçada pela Luz. Onde há Luz não há escuridão. O Amor é a Essência de tudo", etc. Fiquei um bom tempo estabilizando a frequência e tentando fazer com que ela se elevasse para a mesma frequência da Fonte de Amor e Unidade. Foi uma batalha. Eu via muitas figuras pesadas e só levava luz e abraçava no Um. Era uma briga também entre o meu ego e minha essência. Quanto mais ancorava e focava na Unidade, foi ficando muito mais dourado e branco. Como se a Fonte tivesse chegado à Terra. Jesus pediu para que decretasse e eu disse "está decretado que a Luz venceu por toda eternidade! Somos Um!". Nisso, a Shayla, entidade andina que estava na médium do meu lado, virou pra mim, tocou meu coração e disse "toma, filha, foi isso que lhe foi prometido." E eu só via uma Nova Terra. Foi prometido vida em abundância! Via a Terra celebrando, próspera, unida, alegre, com todas as tribos juntas em nome do Amor. Foi uma das visualizações mais lindas que eu já tive na vida. O que foi prometido aos filhos da Luz, não é esquecido. Então, uma voz disse "a nova Terra foi gerida, agora vai ser parida." e no mesmo momento, mesmo eu estando no silêncio, a Shayla pegou a minha mão e levou pro útero dela e eu sabia que era pra ancorar essa energia da Nova Terra. Ela começou a gemer como se estivesse tendo contrações e dores de parto, por um bom tempo ficamos nesse processo. Até que enfim, o nascimento aconteceu e eu só pensava "espalhem as boas-novas, a Nova Terra já está entre nós!". Então, a Laura começou a verbalizar "Venham todos, venham todos ver! Shamballa!". Vi que todos estavam na mesma frequência, muito elevada, vários começaram a falar línguas estranhas, e a língua dos anjos, e senti a energia do Amor tomar conta daquele salão, do Brasil e de todo planeta. Fomos tomados pelo Espírito Santo.
Me vinha muito amor pelo Brasil e que aqui é o cardíaco da Terra, o coração de Pachamama. Shayla, mais uma vez virou pra mim e disse "a mãe ouviu todas as suas lágrimas" e eu compreendi como todas as vezes que eu chorei pela situação da Terra, que fiz minhas lágrimas as lágrimas de Gaia, não foram em vão. E então fui abraçada pela energia da mãe. Shayla se retirou e a médium recebeu Maria Madalena, e no seu silêncio sagrado fomos acolhidos por essa linda energia. Ela ali com Maria Madalena e eu do lado super conectada com Jesus, era tanta paz, indescritível. Minha pele, minha mente, minhas células se lembrarão de toda aquela experiência e daquele dia para toda eternidade.
Agora, eu precisava continuar nesse Amor, confiando de que a Nova Terra já está disponível, o velho sistema está dando seus últimos suspiros e todos os sinais nos mostram isso. Por mais que não seja tão claro, o caos está sendo organizado e cumprindo um propósito maior.
A Nova Terra nada mais é do que a vibração da Unidade. A "volta de Jesus" é simplesmente o retorno da energia crística, da essência, e de pura conexão com a Fonte dentro de nossos corações, e de um resgate do sagrado feminino que assim como a história de Maria Madalena, foi tão distorcido. A Nova Era é a consciência de que Somos Um, somos a junção e integração de duas forças opostas complementares, honrando e servindo ao Amor. Casamento alquímico no interior de cada Ser. Isso é o despertar! É pra isso que tem tanto anjo, ets e crianças de alma cristais e arco-íris encarnados aqui e ainda vindo pra cá. É tempo de mudança.
Me conectei com mais algumas pessoas e cada uma tinha uma energia diferente, mas todas muito amorosas, ficando ainda mais claro que em essência tudo é Amor em infinitas manifestações. Engraçado que quem veio dessa vez foram todos homens. Homens que vem aprendendo a honrar o sagrado feminino, a se descobrirem ao se entregar ao desconhecido. Senti o acolhimento que eles também podem dar, um amor de irmão, de pai, de parceiro, de amigo. Porque é isso... Quem experiencia o puro Amor, só ama, só é. E como humanos, estamos aprendendo sobre o Amor o tempo todo. 
E por fim, estávamos realmente em festa, celebrando o casamento, comendo, sorrindo e transbordando amor. Mas chegou uma hora que eu precisava ficar sozinha, então deitei um pouco e Jesus foi falando sobre o Amor Próprio, sobre como toda vez que junto minhas mãos em prece é a nossa força juntos. Como sempre digo, "o Amor Próprio é o Próprio Amor de Deus". Que se eu pudesse me olhar através do olhar de amor incondicional dele, eu nunca duvidaria do quanto sou amada, do quanto cada detalhe em mim foi criado com amor... Eu só chorava. Foi um reencontro. Como uma criança eu o perguntava "mas você vai sumir de novo?" e ele "eu nunca sumi, eu sou a voz do seu coração". Por último, me veio um projeto que preciso construir, mas por enquanto não posso dizer sobre.
Voltei pra casa radiante, cheia de vida. Mandei uma mensagem para minha mônada contando um pouco do que tinha vivido e que eu o vi lá também. De madrugada ele me respondeu que teve uma das experiências mais lindas da vida e que o paraíso se revelou pra ele... e eu pensei "manoooo, sim!eu te vi lá e você acabou de confirmar!". Fiquei impressionada de como no mesmo dia a gente teve esse mesmo acesso.
No dia seguinte eu ainda estava transbordante por esse amor e por essa força. Confirmando meu sonho do urso, isso continuou comigo. Agora o desafio seria manter o foco no Amor e na Unidade, mesmo vivendo e experienciando a dualidade da 3D.
E quanta coisa aconteceu nessas 2 semanas... Até a estação mudou. Tudo mudou. (contarei mais sobre meus aprendizados depois desse dia nos próximos posts).
Por enquanto é isso,
Nos amo! Somos Um! Viva a Nova Terra! O Amor vence!




  

You May Also Like

0 comentários