Minha segunda experiência com a Ayahuasca

by - 12:54

A primeira experiência foi relatada aqui: post


Oi gente,

Vim contar da segunda vez que tomei ayahuasca, pois o trabalho espiritual consistia em três encontros: o primeiro trabalhou com os filamentos superiores, o segundo trabalhou com os filamentos inferiores e o terceiro seria voltado à energia feminina de Pachamama, mas não pude comparecer.
Na semana antes do dia do trabalho, muitas questões familiares antigas voltaram a aparecer e eu sabia que teria a ver com alguma liberação. A planta já tem seus efeitos antes mesmo de efetivamente entrar no corpo físico. 
No dia do trabalho, tinha dormido na casa da Gabi e cheguei a comentar do sonho que tive. Foi um sonho sem imagens, era só uma voz feminina que dizia como se fosse um mantra "Eu sou sua mentora. Eu sou pleiadiana." e repetiu isso umas três vezes. Sinal bem claro, né? 
Cheguei no Instituto Águia Branca e o mentor de lá já disse que seria um trabalho voltado às nossas raízes e ancestralidade. Isso explicava o porquê dos assuntos familiares terem vindo à tona nessa semana. Mas isso me deixou um pouco receosa. Não me sentia preparada pra lidar com assuntos tão difíceis pra mim e decidi que tomaria só um pouco do chá. O normal é tomar 2 copinhos de café de chá de ayahuasca num ritual, eu acabei tomando só metade de 1 dessa vez.
Pedi para que todo medo se transformasse em amor e que a cura da minha ancestralidade pudesse acontecer através da luz. Essa foi a intenção que coloquei. Num primeiro momento, me debrucei em mim mesma e deitei em meu colo, balançando devagar, me senti um bebê. A energia da planta sagrada é muito feminina, acolhedora e cuidadosa. A força da floresta é a Grande Mãe. Depois disso, eu só via luz e comecei a rir muito, porque era tão bom, aquela luz era tão linda, e eu ria e chorava de amor. Não senti vontade de passar mal. Estava mais atenta ao ambiente.
Um tempo depois, minha amiga me chamou pra ir num canto específico da sala onde batia a luz do sol e ela disse que viu a luz azul de Arcanjo Miguel. Fui pra lá e sentei em postura de meditação. Os raios de sol penetravam minha pele e eu sentia o seu calor levemente aquecer o meu corpo. Resolvi deitar e concentrar-me em minha respiração. Cada respiração que eu dava era uma sensação diferente... Estava mais conectada comigo mesma. Foi aí que começou a energia circular o meu corpo com mais intensidade e minhas mãos começaram a vibrar muito. Comecei a entoar um mantra que me veio "Eu te amo. Pelo amor te chamo". Esse mantra veio como invocação, eu queria me conectar com a mentora pleiadiana que se apresentou no meu sonho. Eis que veio um pássaro de luz e eu o vi a alguns centímetros de distância do meu rosto. Ele batia sua asas e eu sentia o seu vento. Era ela. E quando eu entendi que era ela... um turbilhão de insights me tomou, foi aí que ela me mostrou que foi ela quem propiciou meu encontro com Arcanjo Miguel quando tinha 11 anos naquela madrugada de 11 anos atrás. Pra quem já leu essa história aqui no blog sabe que eu acordei de madrugada, olhei para a minha parede e tinha um pássaro de luz refletido. ERA ELA! Depois que vi esse pássaro na parede e fui olhar pra janela pra ver de onde vinha a luz é que pude ver Arcanjo Miguel e ele me perguntou sobre a minha espada (a palavra) e me deixou uma mensagem. Minha mentora sempre esteve presente, e eu nunca imaginei que ela era aquele pássaro. Me lembrei também do dia que fui no curso da Era de Ouro do Carlos Torres, contei em detalhes aqui neste post, e quando ele estava incorporado trabalhando deu um tapinha no meu ombro e disse "sua mentora tá dizendo pra você trabalhar" e foi aí a primeira vez que eu experimentei trabalhar espiritualmente com outros médiuns. Também me veio em mente quando fui na meditação da Marcinha Belo e ela me falou que eu tinha cara de pleiadiana. Tudo foi se encaixando. Entendi que a minha mentora se comunica comigo principalmente através de mantras e, mais do que isso, tive a certeza de que foi ela que me instruiu na minha primeira meditação.


Depois dessa epifania, eu deitada no chão, não sentia mais meu corpo. Só sentia energia. Foi então que vi mais uma vez aquela luz maravilhosa que me fazia chorar de amor, mas dessa vez vi com mais intensidade. Alguém pegou em minha mão e eu soube que era o mesmo médium que se aproximou de mim da primeira vez que estive lá no instituto. Eu só pensei que gostaria de transmitir tudo que estava sentindo e vendo através da mão que ele segurava... Um tempo depois, ele se afastou e eu fiquei ali, imersa na luz. Fui voltando aos poucos e logo chegou a hora do abraço. Passei pelo abraço de dois médiuns homens e senti uma grande energia paterna de proteção e calmaria, ordem. Depois fui pra uma médium que no abraço acabei deitando em seu peito e chorei como uma criança. Ela colocou as mãos sobre o meu útero e parecia tirar coisas de lá, eu sabia que estava curando alguma faceta materna e do meu feminino, não parei de chorar por um segundo. Por último, fui para o abraço da mulher que recebe o espírito guia do instituto, o Águia Branca. A primeira coisa que essa entidade sábia me disse foi "ô minha filha, você não se acha bonita não?". Meu Deus, pra quê? Pegou no ponto certo. Mais uma vez me debulhei em lágrimas. Em sua sabedoria me disse: "minha filha, você recebeu esse corpo tão lindo e leve que quase consegue representar o quão linda a sua alma é. Que alma bonita você tem! E isso transparece no seu corpo mesmo que você não veja... Você já viu fotos suas na infância?". Respondi que sim. "Então, querida, você consegue ver algum defeito naquela criança? Porque aquela criança é você! Se olhe com esses olhos, meu amor. Se olhe com amor". Aquela foi a mensagem certa que eu precisava ouvir e foi tão maravilhoso poder ressignificar minha autoimagem à partir da lembrança de quem eu sou desde pequena. Minha essência é bonita e é isso que eu deveria olhar pra poder me aceitar nesse corpo. Corpo que é físico e resultado de gerações dos meus ancestrais no quais honro. Que experiência maravilhosa.

Ao final do trabalho, fui conversar com o médium Rodrigo que foi quem nas duas vezes que estive lá, acabou vindo me ajudar. Perguntei o que ele tinha sentido quando me deu a mão e ele respondeu: "o Criador é sábio. Ele colocou um limite para que nós não ultrapassássemos, pois ao ver toda a sua glória acabaríamos cegos. Mas algumas almas, conseguem ultrapassar esse limite e foi isso que aconteceu com você hoje". Eu fiquei chocada com essa resposta porque na hora eu só pensava em transmitir pra ele o que eu estava vendo e sentindo daquela luz intensa, e ele sentiu. Essa luz é o lugar no qual sempre digo que sinto falta, pois sinto que vim de lá. Cada confirmação no meu caminho me faz ter a certeza de que todas as minhas experiências são para além de reais, são extraordinárias. 
Alguns dias depois, sonhei que estava no instituto mais uma vez e vi esse médium vindo em minha direção, enquanto isso alguém me disse: "ele é o 50". Levei pra minha terapia e minha psicóloga deixou no ar pra que eu procurasse o que poderia ser esse número. Fui procurar e:

Dentre muitos de seus significados, o primeiro que apareceu foi esse e foi mais uma confirmação, pois toda vez que o médium Rodrigo esteve do meu lado, foram momentos que eu estava no auge do meu processo e ele sentiu que transcendi a barreira e experimentei a luz um pouco além. Isso tudo eu conto com o meu coração transbordando energia, porque às vezes é até estranho pra mim tudo isso que acontece, mas eu tenho o dever de compartilhar minhas experiências aqui, pois a minha palavra é a minha espada, a minha verdade. 
Não quero fazer ninguém tomar o chá de ayahuasca porque tenho a total noção de que você tem que estar muito preparado e com as intenções muito claras sobre o trabalho. Isso não é pra ser uma brisa ou uma experiência fútil na sua vida, nem nunca vai ser, pelo contrário, essa planta sagrada merece todo o respeito e reverência por tudo que ela faz com todos os nossos corpos. Ela é uma força inteligente que nos faz viver aquilo que precisamos. É a energia feminina da mãe que precisa ensinar e curar, mas faz isso através do amor. Mesmo que seja te mostrando suas trevas, é exatamente trazendo-as para a consciência que elas poderão se transformar em luz. 
Deixo aqui o meu relato que pode ter ensinado algo ou entregado alguma mensagem a alguém que está aqui lendo. Se uma almazinha que seja pôde ser tocada através de minhas palavras, já faz tudo valer a pena.
Obrigada por estar aqui,
Evy




You May Also Like

0 comentários